segunda-feira, 17 de março de 2008

Pré-História

Pré-História


Esse blog foi criando com a intenção de resmir porém ao mesmo tempo mostrar e demonstrar a evolução, as adaptaçõs, comparar as condições físicas e psicológicas, as descobertas a todos os leitores interessados sobre a Pré-História.
Esperamos que consigamos atingir o nosso objetivo de explicação e esclarecimento de forma razoável sobre a Pré-História. Qualquer dúvida deixe nos comentários que tentaremos ajudá-lo na resposta da mesma.

sexta-feira, 14 de março de 2008

Video!

video

Esse video mostra algumas imagens, de como era um pouco a pré-historia.

quarta-feira, 12 de março de 2008

Importância arqueológica!

As cavernas sempre exerceram fascínio à humanidade. Desde a Pré-História os homens as utilizam para abrigar-se. Após o desenvolvimento das habilidades e ferramentas, o homem aprendeu a construir casas e cidades e abandonou as cavernas. Depois disso, elas se tornaram ambientes estranhos ao homem, mas ainda assim continuaram despertando seu interesse. Ao longo da história várias populações usaram a caverna como seu primeiro abrigo, local de sepultamento e também para rituais religiosos.
Um dos ramos da espeleologia é a espeleoarqueologia, que estuda os testemunhos da evolução humana encontrados nas cavernas, sobretudo ossos, artefatos, restos de fogueiras e comida, além da arte rupestre, presente em cavernas de todo o mundo.
Imagens:




segunda-feira, 10 de março de 2008

Dicas:



African Exodus, de Stringer





The Selfish Gene, de Richard Dawkins.













Origin of Species, de Charles Darwin.

domingo, 9 de março de 2008

Evolução!








Australopithecus anamensis : Viveu no leste da África. Já era bípede, possuía um crânio muito pequeno e o esmalte de seus dentes era grosso, semelhante aos pongídeos atuais (orangotangos, gorilas e chimpanzés);






Australopithecus afarensis : Viveu no leste da África. Era bípede por hábito, pois ele vivia sobre as árvores. Possuía um crânio de cerca de 420cm³. Possuía também caninos grandes (gerando um espaço para abrigá-los entres os dentes de baixo); metade dos dentes eram incisivos e metade eram molares. Os indivíduos dessa espécie tinham baixa estatura, com braços maiores do que as pernas. O famoso fóssil "Lucy" pertence a essa espécie, que tem como característica também um grande dimorfismo sexual;








Australopithecus aethiopicus : Viveu no leste da África. Os indivíduos dessa espécie eram altos, com uma face larga, palato grande, ossos zigomáticos grandes (maçã do rosto), uma grande área molar e caninos e incisivos pequenos;






Australopithecus boisei : Viveu no leste da África. Tinha uma face grande, uma área molar grande, caninos pequenos (menores do que a espécie anterior). O crânio tinha cerca de 510-530cm³, e apresentava uma crista sagital (osso saliente no topo da cabeça, para melhor inserção dos músculos mastigatórios);







Australopithecus robustus : Viveu no sul da África. Tinha a face grande, com molares e pré-molares grandes (embora fossem menores em comparação com o A. aethiopicus e com o A. boisei). Possuía uma mandíbula muito forte e um crânio que apresentava uma crista sagital para aumentar a força dos músculos da mandíbula;





Australopithecus africanus : Viveu no sul da África. Pertence à linhagem "gracile" dos australopitecinos. Possuía incisivos maiores e área molar menor que os da linhagem robusta (A. aethiopicus, A. boisei e A. robustus);








Homo habilis : Viveu no leste da África. Tinha uma área molar bem menor do que a linhagem robusta dos australopitecinos, mas em compensação o crânio era maior, com cerca de 750cm³;




Homo rudolphensis : Há indícios de que essa espécie tenha surgido na África e migrado para a Ásia. Tinha uma capacidade craniana maior do que H. habilis, mas tinha uma dentição robusta (área molar maior do que os incisivos);








Homo erectus : Surgiu na Ásia e migrou para a África. Possuía um crânio baixo, com uma angulosidade no occipital, um torus supraorbital horizontal, uma constrição occipital, e não possuía queixo. Tinha a testa baixa e quilha no topo do crânio (cuja capacidade era cerca de 1000cm³). Tinha a altura dos homens de hoje, ossos espessos, e uma dentição posterior menor do que os australopitecinos;





Homo ergaster : Viveu na África. Possuía um crânio arredondado (capacidade de 1067cm³), angulosidade pequena, torus supraorbital curvo e mais suave. Era maior que o H. erectus;





Homo heidelbergensis : Também chamado de Homo sapiens arcaico. Viveu na África, na Ásia e na Europa. As características dessa espécie variam de acordo com o continente. Na África o H. heidelbergensis tinha um torus supraorbital massivo, um torus occipital menos angulado e crânio baixo, cujos ossos eram finos e cuja capacidade era aproximadamente de 1200cm³. Na Europa o H. heidelbergensis tinha um torus supraorbital e occipital bem pronunciados, o crânio era baixo (com uma base larga), cujos ossos eram grossos, tinha também testa baixa, mandíbula robusta e dentes grandes. Mais tarde houve um aumento da capacidade craniana e uma diminuição no tamanho dos dentes. Na Ásia (China) a capacidade craniana dessa espécie era de cerca de 1120cm³;





Homo neanderthalensis : Viveu somente na Europa e no Oriente Médio. O único sítio fora dessa região é no Usbequistão (Ásia). Possuía um torus supraorbital curvo (mas não interrompido), uma tuberosidade da crista mastoidea (exclusiva), um torus occipital pequeno, com depressão supra-iníaca por cima. O crânio era baixo, contudo ele era enorme (por alongamento e expansão lateral) possuindo uma capacidade de cerca de 1520cm³ (maior que o do homem atual, mostrando que a inteligência não tem relação com o tamanho do crânio). Sua face era projetada para frente em relação ao neurocrânio (prognatismo), e seu nariz era enorme. Não possuía queixo, e os dentes da mandíbula iam para frente para encaixar no maxilar superior (fazendo com haja um espaço retromolar atrás do 3o molar). Os incisivos eram largos, com raiz larga (taurodontismo);




Homo sapiens : Há duas hipóteses de onde essa espécie teria surgido, a hipótese da monogênese africana e a hipótese multirregional. A primeira sugere que H. sapiens teria surgido unicamente na África, depois espalhou-se e substituiu as outras espécies de hominídeos viventes (sem hibridização). A grande maioria (99,9%) dos pesquisadores aceitam esta teoria. A segunda hipótese (praticamente enterrada) sugere que H. sapiens teria surgido em vários lugares ao mesmo tempo, a partir de espécies arcaicas. Mas para esses pesquisadores, todas as espécies após H. erectus seriam subespécies de H. sapiens. Crânio alto e curto (capacidade de 1400 cm³), presença de queixo, ausência de prognatismo e substituição do torus supraorbital pela arcada superciliar são características desta espécie

Evoluçao, tabela!




sábado, 8 de março de 2008

Período da Pedra Lascada

Neste período surgem os primeiros hominídeos, antepassados do homem moderno.
Vejamos as suas principais características:

-Alimentação
Os homens paleolíticos ainda não produziam seus alimentos, não plantavam e nem criavam animais. Eles retiravam os alimentos da natureza. Coletavam frutos, grãos e raízes, pescavam e caçavam animais.
Os homens paleolítico se alimentavam da caça, da pesca e da coleta de frutas e raízes silvestres.

-Os instrumentos ou ferramentas
Os instrumentos ou ferramentas do paleolítico eram de pedra, madeira ou osso. A técnica usada para fabricar esses instrumentos era de bater na pedra de maneira a lhe dar a forma adequada para cortar, raspar ou furar.
os principais instrumentos foram os machados de mão, pontas de flecha, pequenas lanças, arpões, anzóis e mais tarde agulhas de osso, arcos e flechas.
Os homens paleolíticos fabricavam seus instrumentos de pedras, ossos e madeira e faziam uma grande variedade de instrumentos como lanças, lâminas, ponta de flechas, martelos, etc.

-Habitação
Os homens do Paleolítico viviam de uma maneira muito primitiva, em grupos nômades, ou seja, se deslocavam constantemente de região para região em busca de alimentos. Habitavam cavernas, copas de árvores, saliências rochosas ou tendas feitas de galhos e cobertas de folhas ou de pele de animais.
Os homens paleolítico utilizavam diversos tipos de moradia como cavernas, tendas em cavernas feita de pele de animais e cabanas feitas de galhos e folhas de árvores.

-Religião
O homem divinizava as forças da natureza, acreditavam na vida depois da morte, enterravam seus mortos debaixo de grandes lajes de pedra suspensas, de nome sambaqui, com suas roupas, armas, enfeites e oferendas. Também adoravam deusas que representavam a fecundidade, pois uma das principais preocupações do homem primitivo era a conservação da espécie humana.
Os homens paleolítico acreditavam na vida depois da morte, enterravam seus mortos em sepulturas chamadas de sambaqui.

-Vestuário
Eram feitas de pele de animais, as mulheres faziam as vestimentas que eram coloridas e tinham vários enfeites.
Elas limpavam e curtiam essas peles até deixa-las bem macias. Usavam agulha de osso e fios de costura eram tendões, tripas secas ou tirinhas de couro. Também faziam jóias e adornos feitos de âmbar, marfim e conchas.
Faziam roupas com peles de animais, e costuravam com agulha feita de osso e os fios de costura eram tripas secas ou tirinhas de couro, eles usavam também enfeites.

-Organização Social
No início do paleolítico a organização social se baseava em pequenos grupos humanos, e unidos por laços familiares. Com o passar do tempo a vida em grupo evoluiu e começaram a se organizarem socialmente. Haviam uma divisão simples do trabalho de acordo com idade e o sexo. Onde as mulheres cuidavam das crianças e juntamente com elas eram responsáveis pela coletas de frutos e raízes, os homens caçavam, pescavam e defendiam o território, sempre realizavam as tarefas em grupo.
Neste período acreditam os estudiosos que existia algum tipo de hierarquia que distribuía o trabalho. Tudo que caçavam, pescavam ou coletavam eram divididos entre eles.
Viviam sempre em grupos, havia uma divisão uma divisão simples do trabalho, e que caçavam e coletavam eram divididos entre todos.

-Desenvolvimento da Linguagem
O progresso cultural do homem é expressa pela comunicação e pela vida em sociedade. A linguagem era necessária para a convivência em grupo. A linguagem do homem paleolítico se baseava no inicio em gestos, sinais e desenhos e mais tarde se baseava também na voz.